quinta-feira, 1 de julho de 2010

Verossímil

O verdadeiro poder de um país está distribuído em: EDUCAÇÃOHABITAÇÃOSAÚDE e SEGURANÇA. Estes, por sua vez, deveriam "jogar no mesmo time", mas, quando isso não acontece, o resultado é o filme VERÔNICA, que marcou sua estréia em fevereiro de 2008, mas teve sua presença apreciada pela massa hoje, quando disponibilizado pela DAMA DE PRATA.

O filme traz o confronto entre EDUCAÇÃO e SEGURANÇA, quando a professora, repleta de problemas pessoais e profissionais, toma o lugar da SEGURANÇA, que, nesse enquadre quase único, é representada pela corrupção da polícia, extremamente conivente com o tráfico de drogas. Tudo isso em defesa de uma criança comum. A educação aqui ultrapassa os cadernos, os livros lúdicos, a sala de aula, para abarcar-se da cidadania,  do uso da lei, da proteção ao próximo. Foi fantástico a maneira como foi abordada e envolvida, o dia a dia do professor do primeiro seguimento, a presença e força destes nas vidas das crianças. Em contra partida,  a segurança perde-se em seu lugar, vira minoria e já é logo descartada, bem na segunda parte, tudo para aproximar ao máximo a realidade. 

O cinema brasileiro está de vento em popa, mudando rápido e consistentemente, e isso é muito positivo. Até parece que estamos falando de um lançamento, mas posso explicar minha satisfação. O assunto violência está tão batido que falar a respeito pode passar de necessário a piegas, num piscar de olhos. Sobretudo depois de longas tão veementes, como CIDADE DE DEUS e  TROPA DE ELITE. Se a necessidade de tratar do assunto persiste, a inteligência precisa atuar, a fim de evitar a banalização. E é justamente o que VERÔNICA  faz, trazendo o envolvimento e ponto de vista de cidadãos comuns, como eu e você. Sou professora, e foi muito difícil não me ver numa situação dessas, de não acabar se envolvendo com alguém que é "envolvido" pelo movimento da violência. Enquanto estamos de fora, dá até para lançarmos grupos de discussão mas, e se for um amigo? Você já tem a resposta mas, se for alguém que você lida no dia a dia? Na escola, no trabalho, na vizinhança. A questão é que torna-se mais fácil viver cercado pela violência se fingirmos que não a vemos, que ela não nos toca, não nos atinge. Contudo, o que aconteceu na ficção VERÔNICA, ou o relatado no noticiário, pode acontecer com qualquer um de nós, a qualquer momento. O longa contou com um enredo e elenco muito forte e muito bom, transformando o final "aliviante", mas não finito, deixando uma brecha, já que tratando-se de corrupção, ninguém sabe, ninguém viu. A forte e determinada personagem pôde contar com a força do amor para defendê-la no fim das contas, no entanto, isso não foi ventilado em nenhum momento. Mas, e na vida real?  Fatalmente a destemida professora teria sido encontrada em uma vala, junto com o corpo da criança, com direito a índole manchada. Ou até conseguiria o apoio do amor, mas jamais teria paz novamente.

A verdade é que o filme, além de muito bom e ter dado de mil a zero em É PROIBIDO PROIBIR, serviu para alguns alertas básicos, dentre eles: não reclame pois tudo tem como ficar pior.

Um comentário:

*MARCIA E CARLOS* E LINDAS MENSAGENS disse...

OI BOM DIA!TEM SELINHO NOVO PRA VC NO MEU CANTINHO ESTA POSTADO NO INICIO DO MEU BLOG ESPERO QUE GOSTE BJOS