domingo, 29 de agosto de 2010

Mas, o que houve com os meus direitos?

Certo dia eu estava num transporte público - uma kombi, e, como todo o transporte coletivo ou de massa, as pessoas estavam vivendo as suas vidas. Eu, tranquilamente na minha leitura, levada a um breve cochilo pelo embalo, fui surpreendida por um toque de celular que, fatalmente, seria atendido pela dona que também deveria estar sob os cuidados de Morfeu, pela demora ao responder. Até o motorista já tinha se voluntariado com os olhos para atender a caixa de som, quando percebemos que não se tratava de um toque telefônico, e sim da lista musical que a pessoa decidira ouvir, mas, envolvendo a todos com o seu gesto e gosto, uma vez que os fones de ouvido não deveriam ter feito parte dos itens que acompanham o aparelho. Como assim, caro leitor?! Pela mãe do guarda! Não é a primeira vez que estou em um transporte e isso acontece. Tremenda sexta-feira de baixa umidade relativa do ar, todos querendo chegar em suas casas atrás de um banho refrescante, aquele engarrafamento de sexta em Cascadura, quando, de repente, Beyoncé começa a gritar "All the single ladies". Isso dá certo em propaganda de refrigerante, mas na vida real, a vontade que dá é de jogar o carinha escada de ônibus abaixo! E segue até o Jardim Novo com um repertório de dar inveja a qualquer DJ menos preparado! Você já imaginou?
Como o coletivo deve funcionar na cabeça dessas pessoas? Sim, porque ligar seu radinho de pilha ou seu super celular na SUA LISTA de músicas e disparar, dentro de um transporte lotado, no mínimo a pessoa deve pensar que somos todos irmãos, consanguineamente falando! Embora, muitas vezes, nem irmão atura irmão, e a famosa frase "Gosto não se discute" surgiu do impasse coletivo! Não estou considerando a LISTA DE SCHINDLER, pois nem contei a vocês o conteúdo das listas mas, venhamos e convenhamos: Onde estão os direitos dos outros? E se, cada um que se sentir incomodado, lançar mão de sua lista predileta, arrancando o fone e performatizando para a apreciação de todos? Sei bem que, em quase 99% das pessoas que compõem o transporte são trabalhadores e estudantes,  jovens e idosos, seguimentos  desrespeitados e mal atendidos em políticas públicas. São pessoas que estão cansadas, geralmente só estão dentro do coletivo na hora do rush por falta de opção. Sendo assim, por que nós mesmos nos desrespeitamos? Por que nós mesmos não entendemos que o outro quer descansar, ler, ouvir sua própria música com seu fone, sem incomodar ninguém? O que se é feito quando um componente desses grupos opta por fazer prevalecer sua vontade sobre a dos outros é exatamente o que a política faz conosco: primeiro eu, eu quero assim e, dane-se os outros!
Antes que qualquer desavisado me escreva sem se identificar, a fim de criticar, respondo: ADORO MÚSICA! Sou impulsionada por ela noite e dia! ADORO informação! Tenho o costume de ouvir a BAND NEWS FM todas as manhãs. Meu gosto por música não agrada a massa! Gosto de JAZZ, TANGO, SALSA, R&B, MUSICAIS, HIP HOP, BALADS - as antigas, lógico! Não se faz mais música lenta como antigamente. Sem contar os LIVROS FALADOS, uma mão na roda!  Não enumerarei aqui o que não gosto, para não atacar ninguém. Bem, tudo isso que curto, rola no meu radinho de pilha pois, como mera mortal, passo mais de uma hora e meia dentro do transporte coletivo, para chegar à minha labuta. Então, meu amigo, ao decidir colocar-se, tenha ao menos a hombridade de identificar-se, para que possamos estabelecer uma discussão saudável e produtiva, pois, opinião é igual a gosto,no entanto, ninguém tem o direito, enquanto em sociedade, de perturbar o sossego de ninguém.

5 comentários:

Jorge Alberto disse...

Então você também foi atacada por essa porcaria de "caixa de abelhas" dentro de um ônibus. Faz um tempo escrevi um post a respeito. Se me permitir a indicação da leitura de O inferno dentro dos ônibus , basta ir no link abaixo:
http://recantodaspalavras.com.br/2009/08/21/o-inferno-dentro-dos-nibus

Abraços.

ps. Aceitei seu pedido de adição no diHITT.

1k2 disse...

Aqui em Ribeirão Preto a praga dos MP(n) também ataca. O máximo que fiz quando tive o meu (e foi furtado) foi disponibilizar uma freqüencia de FM (o meu tinha transmissor). E quando o aparelho antigo não tinha usava um duplicador de fones de ouvidos. Isso quando eu queria compartilhar uma música. Agora a má educação grassa nas linhas de ônibus mais populares, e isso já era freqüente com os carros xunados em que o sujeito nos ensurdecia com o seu gosto musical bizarro.
Agora com os MP(de 4 foi para 25...) o sujeito compra um aparelho de R$ 400,00 mas não tem coragem de pagar R$ 10,00 em um fone de ouvido do boa qualidade. E o pior é que essas pessoas não tem simancol e nem desconfiômetro e obriga os outros passageiros a escutar o que não gostam durante todo o trajeto, já que a maioria descem nos pontos centrais, cujo trajeto aqui levam de 35 a 55 minutos. O resultado é essa cacofonia de "pagode ardido", proibidão do PCC e funk carioca, "sertanejo universitário acústico" e outras aberrações midiáticas gerados pelas gravadoras.

Histórias & Estórias disse...

Acho pior que isto - e muito pior - é quando um sujeito chega a "abre" o som do carro. Daí, em vez de caixa de abelhas, vira um inferno geral!

Mari disse...

Gente, me desculpe, mas isso só acontece porque ninguém fala nada, ninguém reclama. Todos, ou pelo menos a maioria, está p... da vida mas tem medo de se expor. Vanessa, vc acha que isso aconteceria comigo sem que eu fizesse nada?? As pessoas são muito abusadas porque contam com o silêncio dos educados, como vcs. Eu sou muitíssimo educada, desde que não abusem disso.
Uma amiga que mora em Rio das Ostras chegou na minha casa em São Pedro da Aldeia desesperada, pois o cobrador da "van" em que ela viajava simplesmente colocou seu... hum... como dizer.... "bilau" pra fora, mostrando pra ela. Gente, comigo isso não acontece. Eu faria um escândalo dentro do transporte e ainda o humilharia com uma frase tipo "olha este tarado me mostrando este "bilauzinho" sem graça. É muito abuso e muita coragem mostrar este órgão tão mixuruca". Aposto que ele não faria mais isso.
Um grande bj
Mari

Van Kosta - Butterfly Back disse...

Mari!!Estou com vc! Esse povo abusa da educação, de tudo. E, no caso da "van", eu faria a mesma coisa!